quinta-feira, 23 de março de 2017

Sobre os "prize-money" - diálogo improvável!

...
Diálogo improvável sobre prémios monetários em torneios:
- Viva, vamos os dois à final...
- É verdade, e o prémio são 500€!
- 500€ para mim se eu ganhar, 500€ para ti se tu ganhares! Qual a probabilidade de ganhar eu ou de ganhares tu? Tu é que percebes de matemática...
- Probabilidade indefinida, pois há muitas variáveis em jogo e ainda temos de contar com o risco, com o acaso e até com a subjetividade do árbitro... teoricamente poderemos dizer 50% para ambos... estamos às escuras...
- Bem, resolve-se já... deixas-me ganhar, recebes depois 150... sempre é mais certo!
- Então e se for eu a ganhar e te der 200 depois de receber os 500?
Quem ia arbitrar esta final até se encontrava por perto, e ao ouvir partes da conversa resolve intervir:
- Bem, meus amigos, resolvam lá quem vai ganhar, qualquer um me serve, mas para mim terão de vir 100...
- Ora bolas, vamos lá refazer as contas...

quarta-feira, 1 de março de 2017

Tolos...

...
Há pessoas com responsabilidades que não dão bons exemplos, mas são figuras de referência... 

Pois é, é que se todos os sábios têm os seus mestres, os tolos também!

O problema é a falta de coragem para separarmos o trigo do joio...


Felizes os que nunca tiveram um "Mestre" com falta de carácter!!!

...

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Gasshuku cancelado

...
Pela primeira vez somos obrigados a cancelar um estágio.

O estado de saúde de Ōnaga Ryōichi Sensei impede-o de de deslocar de avião até nós, pelo que teremos de aguardar uma melhor data.

Certos de que tudo correrá pelo melhor, daqui lhe enviamos os nossos votos de rápida recuperação.


sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Gurus do "karate"!

...
Viriato afinal não habitava nos montes Hermínios... Egas Moniz nunca se apresentou a Afonso VII de Leão e Castela com uma corda ao pescoço... Martim Moniz não morreu entalado nas portas de Lisboa... a escola náutica de Sagres é uma ilusão... o Infante Santo nunca o foi nem o quis ser... Frei Miguel Contreiras nunca existiu... a frase "enterrar os mortos e cuidar dos vivos" não foi proferida pelo Marquês de Pombal nem D. Pedro IV alguma vez deu o grito "independência ou morte" nas margens do Ipiranga... Portugal não foi o primeiro país a abolir a pena de morte... Salazar não era tão casto nem tão austero quanto o quiseram fazer crer... e assim fomos manipulados, durante anos, no ensino da história...

Durante anos foi-nos vendida a perspectiva do Mestre Gichin Funakoshi (1868-1957):
空手に先手無し。 – Karate ni sente nashi.
"No Karate não existe primeiro ataque."

Durante anos não foi divulgado o ponto de vista do Mestre Chōki Motobu (1870-1944):
唐手は先手で有る。  Karate wa sente de aru.
"Em Karate, ataca-se primeiro!"

Existem por aí muitos gurus do "karate", alguns que só transmitem parte das coisas que sabem/conhecem para continuarem a ser gurus... outros, que se imitam ao «olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço!"»



Nos USA, o «ensino equilibrado» tanto aposta no criacionismo como no ensino da rejeição das alterações climáticas... também poderemos ir por aí...

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Se tivesse tido coragem...

...
José Manuel Constantino recandidata-se à Presidência do COP. Das 33 federações de modalidades olímpicas (i. e., que estão no programa dos J. O.) obteve o apoio de 27.

Constantino diz que agregou em vez de separar (seja lá o que isso for!)... Sobre as 6 federações que não o apoiam diz: "Há duas sobre as quais se desconhece o estado actual, houve duas que não conseguimos contactar e outras duas que não tomámos a iniciativa de fazê-lo porque não desejávamos os apoios." («A Bola», 11.02.2017, p. 41).


São elas (as seis!): Basebol/Softbol, Karate, Taekwondo, Ténis, Tiro com Arco e Tiro com Armas de Caça.

Se tivesse tido coragem teria dito quais são aquelas de que se desconhece o estado actual, quais as que não conseguiu contactar e de quais não desejava o apoio.

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

8 países anunciados em 4 países...

... 
Nova Iorque, ali para as bandas da 42th street...


Londres, ali para as bandas de Regent street...

Múrcia, Corte Inglês...


Osaka, ali para as bandas de Tsutaya...


Malandros e atrevidos!

...
Jenny Candeias, na edição de ontem do jornal «A Bola» (09.02.2017, p. 32) falava-nos de algo inexistente na estrutura organizativa da nossa modalidade a nível do país: “O nosso desporto, de estrutura associativa, tem na base clubes e, na cúpula, federações. Mas a posição mais difícil será a de dirigentes que se encontram a meio da estrutura: o das associações. Estes, além de estarem fora da família clubística, raramente dispõem dos recursos profissionais das federações.
Não temos uma estrutura clubes – associações distritais/regionais – federação… E talvez não seja por a posição mais difícil ser a dos dirigentes que eventualmente se encontrariam a meio dessa estrutura… A existência de associações distritais/regionais iria relativizar o trabalho e a posição (ou o poder) da federação… por isso, talvez não conveniente… ou iria retirar o privilégio (e/ou talvez o lucro) de certos clubes/associações organizarem os campeonatos regionais… ou até mesmo nacionais.

Mas nessa mesma edição desse diário, António Simões fala-nos de uma coisa existente no futebol e que curiosamente também existe na nossa modalidade: “No futebol, às vezes, para se ganhar um jogo é preciso jogá-lo dos pés à cabeça como se estivesse a cantar a canção do bandido – com os jogadores (e o treinador) a tentarem, malandros e atrevidos, enganar o adversário” (p. 36). É verdade, no “Karate” para se ganharem alguns jogos este acabam por ser jogados dos pés à cabeça (ou da organização à tesouraria) cantando-se a canção do bandido, não havendo tão poucos malandros e atrevidos como isso, pois não são só os adversários que são enganados mas até o comum dos mortais…
Repare-se no negócio montado com os cursos de treinadores (com formadores pagos e com tutores "pro bono"), com as acções de formação - mas aqui parte da culpa deve ser atribuída ao RJFD e ao PNFT - e no que se passa com as selecções nacionais.


E siga a banda!


quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Esperança


...
Nós esperamos que 2017 seja melhor... temos esperança (ainda não descobri se "esperar" e "esperança" são provenientes do mesmo étimo), mas como dizia, julgo eu, Walter Benjamim, a esperança é para os desesperados!



"Na verdade, a beleza da vida é a sua incerteza."*


 


*(Yoshida Kenkō (吉田 兼好), "Tsurezuregusa" (1330 - 1332).