segunda-feira, 8 de agosto de 2011

ANIVERSÁRIO!


A aventura iniciou-se às 17 horas e 8 minutos do dia 8 de Agosto de 2009. Faz precisamente hoje dois anos que Karate-do.pt está na blogosfera...

Dois anos em que foram colocados 315 posts os quais obtiveram 373 comentários.

29.241 visualizações e 36 seguidores, a última das quais desde ontem, do Brasil, Jornalista por profissão e Karateka por eterna vocação... visualizações essas provenientes de 46 países.

Páginas de artigos consultadas 109 vezes e de comunicações científicas 524 vezes.

O post mais visualizado, "O País que temos... ou o País que somos!", obteve 384 visitas.

Aos que só leram ou consultaram, aos que comentaram e aos que divulgaram, aos que aplaudiram e aos que detestaram, os meus agradecimentos.

Por isso mesmo, e como este blog tem "sido",  neste aniversário digo como Pablo Neruda: ! 


Se não puderes ser um pinheiro, no topo de uma colina,
Sê um arbusto no vale mas sê
O melhor arbusto à margem do regato.
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
E dá alegria a algum caminho.

Se não puderes ser uma estrada,
Sê apenas uma senda,
Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
Mas sê o melhor no que quer que sejas.


Um abraço cordial para todos!
...

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Tenho vergonha de mim!

.
Podia ser um português, mas não é! É um brasileiro que desabafa a sua indignação em língua bem lusitana.

video

Haverá algum português capaz de assumir uma posição semelhante?

Os meus agradecimentos ao Hélio Ramos, Açoreano de gema, por me ter enviado este vídeo!

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Desporto no feminino - Maria José Carvalho

.
Ao navegar pela internet, chamou-me a atenção há uns dias um título de uma das apresentações do célebre Congresso do Desporto: "REFORMA DO SISTEMA DESPORTIVO: Dos Moicanos ao Harry Potter; da Invenção do Cronómetro ao Cyber-Robot." Curiosidade activada, power point passado a fino...

Apresentação feita a 10 de Dezembro de 2006 por uma Mulher que abre a dizer que "há mais de 20 anos que participo, passiva e activamente em sessões públicas deste cariz. Resultados práticos..?? Poucos...!!" para continuar afirmando  que não "caíu de pára-quedas no sistema desportivo", que "o futuro é hoje" e que cita John Lennon: a vida é aquilo que acontece enquanto fazemos planos para o futuro”.

Ex-praticante de voleibol e de andebol, tendo nesta modalidade sido campeã nacional, internacional A com cerca de 95 internacionalizações, e tendo participado em diversos Campeonatos do Mundo (1980 a 1994), Maria José Carvalho é Licenciada em Educação Física, Licenciada em Direito, Mestre em Gestão Desportiva, possui uma uma Pós-Graduação em Direito do Desporto e em 2007 concluíu o seu Doutoramento em Ciências do Desporto (Gestão Desportiva). Para além de dirigir o Gabinete de Gestão Desportiva da FADEUP, Maria José Carvalho ainda tem tempo, além da vida familiar, para se ocupar com a advocacia.    


Esta introdução serve pura e simplesmente para demonstrar que a par de uma vida profissional e familiar é possível atingirmos os nossos objectivos: é uma questão de gestão de tempo, é uma questão de opções, é uma questão de sacrifícios e também de força de vontade e de apoio familiar. Mas não desejando apresentar aqui nenhum currículum, aquilo que pretendo realçar é o tema da Tese de Doutoramento (2007) da Prof.ª Maria José: "Os Elementos Estruturantes do Regime Jurídico do Desporto Profissional em Portugal". Assunto com que muitos de nós pouco se preocupa e daí não percebermos porque Figo se passou do Barcelona para o Atlético de Madrid ou porque André Villas-Boas foi para o Chelsea... Confesso que não li a Tese, mas sei que existe um desporto profissional!

Logo no início de "Estado e Desporto Profissional: Relação Política e Regulativa" (1) a Prof.ª Maria José revela-nos que "o desporto goza de uma omnipresença e de uma omnipotência invulgares nos dias de hoje, sendo abusivo e incorrecto evidenciar e, sobretudo, superlativar uma das suas formas de expressão em detrimento de outras". Donde podemos inferir que há portanto várias formas de expressão do desporto, as nomenclaturas é que por vezes são diferentes (arte marcial, desporto de combate, etc.), mas que são Desporto.

Neste texto a autora percorre a história do desporto amador ao desporto profissional, aborda conceitos jurídico-desportivos e realça que o Direito não se reporta ao desporto profisisonal em si, mas sim às competições desportivas profissionais. Não temos nós no Karaté treinadores que são autênticos profissionais?

Da relação política passa para a relação legislativa (esta apresentada cronologicamente), mas o seu epílogo é fenomenal de onde transcrevemos o seguinte:

"Não podemos menosprezar a relevância da actividade económica e social e a peculiar lógica empresarial do desporto profissional, traduzidas principalmente no volume de negócios, de empregos e de fluxos turísticos." Mediante esta afirmação, talvez percebamos um pouco melhor por que motivos o Karaté nunca irá chegar a uns Jogos Olímpicos...

Continuando a transcrição: "Também não podemos olvidar o facto da prática desportiva profissional constituir um modelo, um referencial, para o bem e para o mal, do panorama desportivo nacional ." E aqui temos outro busílis da questão: até 2007 nunca foram detectados casos positivos de doping no Karaté... Processos disciplinares poucos... não por não haver indisciplina...

Mas o último parágrafo merece ser citado. "Contudo, é tempo de se proceder ao balanço deste intervencionismo, reflectir sobre a sua oportunidade e eficácia, sobre os seus pontos fortes e fracos, as suas ameaças e oportunidades, no fundo efectuar a reflexão e o debate público em torno da problemática do desporto profissional. Poderia ter sido o Congresso do Desporto, realizado entre 12 de Dezembro de 2005 e 18 de Fevereriro de 2006, o palco de excelência para o confronto de ideias e confluência de estratégias políticas, públicas e privadas, um passo importante para o projecto de desenvolvimento do desporto profissional (e aqui eu atrever-me-ia a acrescentar também o desporto amador, o de lazer e o escolar, embora não fosse este o tema a ser tratado na altura pela Prof.ª Maria José). Não o foi! Outros momentos terão de ser agendados e a curto prazo porque «não dar ao desporto (profissional) a devida importância é agir como se fôssemos circunstantes, vivêssemos fora do nosso tempo e ignorássemos a função que lhe pertence na modelação e feitura do mundo, da civilização e das pessoas» (palavras do Prof. Dr. Olímpio Bento)". 

"Outros momentos terão de ser agendados e a curto prazo..." o otimismo da Prof.ª Maria José sempre presente, mas já estamos em 2011...



Nota: negritos da responsabilidade de Karate-Do.pt.

(1) Maria José Carvalho, 2006, "Estado e Desporto Profissional: Relação Política e Regulativa", in J. O. Bento & J. M. Constantino, "O Desporto e o Estado - Ideologias e Práticas", Porto, Ed. Afrontamento.
...

Informação do Exm.o Sr. Presidente da Mesa da AG da FNK-P

Do site da FNK-P, transcrevemos com a devida vénia:


Exmas. Associações, Praticantes, Árbitros e Treinadores,

É consabido que por força das alterações introduzidas, pelo DL nº 248-B/2008 de 31 de Dezembro, à Lei de Bases da Actividade Física e do Desporto (Lei nº 5/2007 de 16 de Janeiro) a FNKP foi obrigada a alterar os seus estatutos de modo a conformá-los com a referida Lei de Bases em vigor.

É, também, consabido que por entendermos que essas alterações não beneficiam a estrutura federativa e a nossa modalidade, resistimos a essa alteração até ao último momento que correspondeu à exigência limite da entidade tutelar.

Na sequência das exigências impostas, a Assembleia Geral da FNKP, reunida extraordinariamente para o efeito, aprovou a alteração dos estatutos de acordo com aquela Lei de Bases.

É minha opinião pessoal e, presumo, de todos ou da maior parte dos agentes e membros da FNKP que esta alteração não acrescenta valor critico à FNKP, não acrescenta maior e melhor democraticidade, sendo até potenciador de confusão, conflitos e burocracia pelo que não auxilia o desenvolvimento da modalidade.

Porém, na qualidade de Presidente da Mesa da AG da FNKP estou obrigado a fazer cumprir os estatutos em vigor.

Assim e para cabal cumprimento do regulamento estatutário em vigor, decidi convocar uma Assembleia Geral eleitoral, com o fim único de eleger os órgãos federativos de acordo com as novas regras, para o próximo dia 17 de Setembro, em hora e local identificado na respectiva convocatória.

Nos termos das novas regras estatutárias, a Assembleia Geral da FNKP é constituída por delegados eleitos de acordo com o seu art.º 15º e 23º.

O acto eleitoral decorrerá nos termos previstos no Regulamento Eleitoral oportunamente aprovado em reunião de Direcção da FNKP.

Nos termos do nº 7 do art.º 4º do citado Regulamento Eleitoral, compete ao Presidente da Mesa da AG convocar e presidir à eleição de delegados dos praticantes, árbitros e treinadores, conforme as regras ali estabelecidas.

Já procedi à subscrição da referida convocatória, estando marcado o acto eleitoral dos delegados para o mesmo dia da AG da FNKP (17/09/2011), a realizar-se na sede da Federação, entre as 10h00 e as 13h00, de acordo com as regras eleitorais estabelecidas no nº 7 e seguintes do art.º 4º daquele regulamento eleitoral.

Chamo a atenção para a necessidade de uma leitura atenta daquele regulamento eleitoral a fim de se proceder de acordo com o ali preceituado, nomeadamente, no que respeita às candidaturas e prazos para o efeito.

Na certeza que todos compreendem as dificuldades que esta nova situação, por força das alterações introduzidas, acarreta e porque se trata de uma forma nova de eleger os órgãos sociais da FNKP, estranha a todos os actos eleitorais até agora realizados, solicito a melhor compreensão, colaboração e disponibilidade de todos os intervenientes para que o acto eleitoral ocorra de modo a servir os melhores interesses da modalidade e da FNKP.

Com as melhores saudações desportivas.

O Presidente da Mesa da Assembleia Geral da FNKP

ELÍSIO SOUSA
ADVOGADO

Eleições directas para delegados à AG da FNK-P

Do site da FNK-P, transcrevemos com a devida vénia:


ELEIÇÕES DIRECTAS PARA DELEGADOS À ASSEMBLEIA GERAL DA FNKP

CONVOCATÓRIA

Nos termos das competências conferidas pelos Estatutos da FNKP em vigor, e do nº 7 do artº 4º do Regulamento Eleitoral da FNKP, aprovado em Reunião de Direcção em 09 de Novembro de 2010, convoco os praticantes, os árbitros e os treinadores de Karaté, inscritos na FNKP até 31 de Dezembro de 2010 e de acordo com o nº 8, 9 e 10 do artº 4º daquele Regulamento, para eleição dos respectivos delegados efectivos e suplentes à Assembleia Geral da FNKP, a realizar-se em acto eleitoral na sede da Federação Nacional de Karate – Portugal, sita na rua do Cruzeiro, nº 6 – r/c Dto. – Lisboa, entre as 10h00 e as 13h00 do dia 17 de Setembro de 2011.

Lisboa, 2 de Agosto de 2011

O Presidente da Assembleia Geral da FNK-P

Dr. Elísio Sousa

Conselho Geral da FNK-P

Do site da FNK-P, transcrevemos com a devida vénia:


CONSELHO GERAL

CONVOCATÓRIA

Nos termos das competências conferidas pelos Estatutos da FNKP, convoco o Conselho Geral da Federação Nacional de Karate – Portugal, para reunir em sessão extraordinária eleitoral, a realizar no próximo dia 17 de Setembro de 2011, com início às dez horas e encerramento às treze horas, no Comité Olímpico de Portugal, sito na Travessa da Memória nº36 – 1300-403 Lisboa.

ORDEM DE TRABALHOS

Ponto único – Eleição dos delegados, efectivos e suplentes, das associações de praticantes que sejam membros ordinários da Federação Nacional de Karate – Portugal à Assembleia Geral, de entre as listas de candidatos que, nos termos do Regulamento Eleitoral, sejam presentes.

Não comparecendo a maioria simples de associados para que o Conselho Geral possa reunir em primeira convocação, fica desde já convocado o mesmo Conselho Geral para reunir em segunda convocação, no mesmo dia, no mesmo local e com a mesma ordem de trabalhos, meia hora mais tarde, deliberando, então, com qualquer número de delegados presentes.

Lisboa, 2 de Agosto de 2011

O Presidente da Conselho Geral da FNK-P

(João Salgado)

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Eleições para a FNK-P

Do site da FNK-P, transcrevemos com a devida vénia:


ASSEMBLEIA GERAL ELEITORAL

CONVOCATÓRIA

Nos termos das competências conferidas pelos Estatutos da FNKP em vigor e de acordo com o Regulamento Eleitoral aprovado em Reunião de Direcção da FNKP em 09 de Novembro de 2010, convoco a Assembleia Geral da Federação Nacional de Karate – Portugal para reunir em sessão extraordinária eleitoral, a realizar no próximo dia 17 de Setembro de 2011, com início às dezasseis horas e encerramento às dezoito horas, no Comité Olímpico de Portugal, sito na Travessa da Memória nº36 – 1300-403 Lisboa.

ORDEM DE TRABALHOS

Ponto único – Eleição dos órgãos sociais da Federação Nacional de Karate – Portugal para o quadriénio 2011/2015.

Não comparecendo a maioria simples de delegados para que a Assembleia Geral possa reunir em primeira
convocação, fica desde já convocado a mesma Assembleia Geral para reunir em segunda convocação, no mesmo dia, no mesmo local e com a mesma ordem de trabalhos, uma hora mais tarde, deliberando, então, com qualquer número de delegados presentes.

Lisboa, 2 de Agosto de 2011

O Presidente da Assembleia Geral da FNK-P

Dr. Elísio Sousa

terça-feira, 2 de agosto de 2011

A violência na prática desportiva

Uma coisa é a violência na prática desportiva - entre os seus intervenientes diretos - outra coisa é a violência associada ao desporto - entre elementos do público, claques, hooliganismo, etc.,

A existência da primeira é mais condenável que a da segunda (se é que a da segunda pode ser menos condenável!). E é mais condenável se, de facto, o desporto for um campo de valores,,,

O que é certo é que começam a ser cada vez mais divulgados (o que não quer dizer que sejam mais frequentem) os comportamentos de violência entre atletas e jogadores, competidores ou desportistas.

Para os interessados, aqui fica uma listagem dos últimos vídeos em que vale a pena ver alguns animais em acção...

A Bola – 21.Jul.2011 - Paraguai - Venezuela termina com violência (com vídeo)

Record – 22.Jul.2011 - Atletas franceses trocam agressões no meeting do Mónaco (com vídeo) http://www.record.xl.pt/Galerias//interior.aspx?content_id=708690

A Bola – 23.Jul.2011 - Tour 2011: Alberto Contador agride espectador (com vídeo) http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=277394&rss=1

Correio da Manhã – 01.Ago.2011 - Jogador pontapeia árbitro (com vídeo) http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/ultima-hora/jogador-pontapeia-arbitro-com-video

Expresso – 02.Ago.2011 - Agressão bárbara em jogo no Brasil (com vídeo) http://aeiou.expresso.pt/agressao-barbara-em-jogo-no-brasil-video=f664566

Record – 02.Ago.2011 - Jogo de basquetebol termina à pancada (com vídeo) http://www.record.xl.pt/multimedia/videos/interior.aspx?content_id=710348

...

"Com bom advogado qualquer um se safa"

.
Caso César Cielo - FINA arrasa TAS: "Com bom advogado qualquer um se safa".

Da responsabilidade de Duarte Ladeiras, com AFP, transcrevemos na íntegra, com a devida vénia, a notícia publicada ontem no jornal «Diário de Notícias» sobre este controverso caso.




O sucesso de um atleta acusado de doping junto do Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) depende do nível do seu advogado e não da infracção de que está acusado. Esta forte crítica ao organismo máximo da justiça desportiva partiu da Federação Internacional de Natação (FINA), que não ficou satisfeita com o desfecho do caso César Cielo.

O brasileiro, campeão olímpico dos 50 metros livres, registou um controlo positivo, por detecção de furosemida, assim como outros três nadadores. Os quarto argumentaram que se tratou de dopagem acidental, por contaminação com furosemida de um suplemento nutricional, de cafeína, que os nadadores tomavam regularmente por prescrição médica. Todos foram punidos pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) com advertência e desclassificação, mas a FINA recorreu. O TAS só alterou a sanção de Vinicius Waked, impondo um ano de suspensão, por ser o segundo positivo da carreira deste nadador. De resto, o organismo máximo da justiça desportiva manteve as advertências.

O director executivo da FINA, Cornel Marculescu, mostrou o seu desagrado pela decisão do TAS. "Se tem um bom advogado qualquer um se safa. Se tem um mau advogado apanha o máximo. Se tiver um bom advogado e uma boa argumentação, consegue influenciar o painel de juízes. A margem é demasiado grande. Considero que é demais", afirmou Marculescu, referindo-se às sanções variáveis introduzidas pelo último código mundial antidopagem: dois a quatro anos de sanção para dopagem grave e intencional; até dois anos para substâncias específicas e doping acidental.

O responsável da FINA garantiu que quer discutir este assunto junto da Agência Mundial Antidopagem, para acabar com as enormes discrepâncias entre casos semelhantes. Marculescu deu como exemplo o caso da nadadora russa Anastasiya Ivanenko, que foi suspensa por dois anos, devido a um teste positivo também por furosemida, em Fevereiro de 2007 (altura em que o novo código antidoping não estava em vigor).

"Não é fácil explicar aos atletas porquê num dia é negro e no outro é branco. Como explicamos que se possa ir de uma simples advertência, que não significa nada, até dois anos pela mesma substância?", vincou Marculescu, considerando normal os assobios, vindos da tribuna dos atletas, quando Cielo ganhou os 50m mariposa no primeiro dias dos Mundiais [ganhou depois também os 50m livres]. "As pessoas estão frustradas."
...

O drama que atingiu um dos heróis de Mandela

Mais um caso que reflete a vida futura dos que se dedicaram ao desporto.


Do jornal «Diário de Notícias» de hoje, com a devida vénia, transcrevemos a notícia completa.


Campeão mundial de râguebi em 1995 pela África do Sul - a mítica equipa que cumpriu o sonho de Nelson Mandela - e ex-capitão dos Springboks, sofre de doença degenerativa e tem cinco anos de vida.

Joost van der Westhuizen, ex-internacional dos Springboks, selecção sul-africana de râguebi, campeã mundial em 1995, viu esta semana confirmado por médicos norte-americanos que sofre de uma grave doença neurodegenerativa que lhe dá uma esperança de vida máxima de cinco anos.

Considerado um ídolo do desporto da África do Sul, o ex-capitão, de 40 anos, conta com 89 presenças nos Springboks, em que marcou 38 ensaios e 190 pontos de 1993 a 2003.
...

Naoki Matsuda morre após desmaiar em campo

De novo uma morte em campo, com paragem cardiorrespiratória fatal...

Do jornal «Record» de hoje, com a devida vénia, transcrevemos a notícia completa sobre mais este caso de  morte súbita - mais uma entre tantas.


O antigo futebolista internacional japonês Naoki Matsuda, de 34 anos, morreu esta terça-feira devido a uma paragem cardiorrespiratória sofrida durante um treino que estava a realizar num clube da zona de Nagano, indicou a agência noticiosa nipónica Kyodo.

Segundo as informações divulgadas, Matsuda (à direita na foto) chegou inconsciente ao hospital, onde foram efetuadas, sem sucesso, tentativas de reanimação.

O defesa realizou 40 jogos com a camisola do Japão, tendo marcado presença no Mundial 2002, disputando um total de 385 jogos na Liga japonesa de futebol, ao serviço do Yokohama Marinos, clube que representou entre 1995 e 2010.
...

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Compreender a Kata


Habituados que estamos a definir Kata como "forma", ou como uma "sequência de técnicas de defesa e ataque que representam um combate real contra quatro adversários hipotéticos", deixamos aqui algumas observações que nos são transmitidas pelo Sensei Kenji Tokitsu no seu último livro.

Ao ponderar o significado de Kata como o conjunto básico de movimentos na prática de uma arte (1), comecei a descobrir a estrutura mental e o tipo particular de identificações (2) que cobriu cada prática.
A definição de Kata a que eu cheguei a partir deste estudo preliminar acabou por ser a expressão mais evidente de uma realidade social que era muito mais vasta e muito mais difícil de entender.

Em Japonês, a palavra Kata tem dois significados principais escrito com dois ideogramas:

1. "forma" 形 - etimologia:  "esboço de uma representação exata como que  usando pinceladas";
2. "molde" 型 - etimologia:  "forma original feita a partir de terra". Durante muito tempo, este ideograma também significou "faixas ou vestígios deixados para trás", "forma ideal", "lei", "costume".

A palavra Kata, significa então duas coisas. Primeiro, significa a imagem de uma forma ideal e seu contorno exato como ela vai ser representada. Em segundo lugar, começou a ser usada para designar a codificação e transmissão de conhecimento baseado num conjunto determinado de movimentos técnicos com o corpo, mas não sabemos em que era esse significado surgiu. Esse aspecto histórico é, de fato, bastante significativo.

Na realidade, a Kata desenvolve-se ao longo de uma tradição japonesa e deve ser olhada no seu contexto histórico.

Quando dizemos: "Eu tenho um corpo, eu tenho uma mão ..." uma separação já está em vigor. Este tipo de formulação antes não existiam em japonês, que foi inventado para traduzir idiomas Ocidentais. Esta separação não é sentida na técnica "wasa" ( técnica conectada ao corpo) (3). Qualquer um que adquire esta espécie de técnica tem a experiência de uma unidade total: "Eu sou o corpo, eu sou a mão" - além disso, "Eu sou a técnica, eu sou o que é feito". Neste sentido, o eu desaparece.


(1) Tokitsu refere-se aqui a arte como perfeição, incluindo o Noh, o Kabuki ou a Ikebana e não só a arte da guerra ou do combate.
(2) O autor usa a palavra "identificação" ao longo do texto, no sentido de "associar-se inseparavelmente com" (N. T.).
(3) Não nos esqueçamos que Kenji Tokitsu foi aluno do Sensei Funakoshi, que dizia que "muitas vezes, a quem falta a qualidade essencial da total seriedade, pode refugiar-se na teoria. A verdadeira prática não se faz com palavras, mas com a composição do corpo inteiro. O que aprenderes por ter ouvido aos outros, esquecê-lo-ás facilmente; o que aprenderes com o teu corpo, recorddá-lo-ás toda a sua vida." Mas também sabemos que para nós, ocidentais, a prática também tem de ser compreendida...

Apanha os botões de rosa enquanto podes!

.
"Apanha os botões de rosa enquanto podes
E esta flor que sorri estará amanhã moribunda..."

- Em latim o termo para esse sentimento é carpe diem! Quem sabe o que significa?
- Significa “aproveita o dia”.
- Muito bem, Sr...?
- Meeks.
- Meeks, outro nome estranho. “Apanha os botões de rosa enquanto podes.” Porque é que o autor diz isto?
- Porque tem pressa!
- Não, mas obrigado por participar. Porque somos pasto para os vermes, rapazes. Acreditem ou não, todos nós nesta sala, um dia vamos deixar de respirar, vamos ficar frios e morrer.

- Carpe diem. Aproveitem o dia, rapazes. Tornem a vida de vocês extraordinárias.

(Clube dos poetas mortos, 1989)

  (A Bola, 27.07.2011, p. 37)

Felizes dos que apanham os botões de rosa enquanto podem!...
...

Estágio Europeu da GKI

Terminou ontem o Estágio Europeu da GKI, que se desenrolou na Ericeira, sob a organização da Kaizen Karate Portugal, albergando instrutores e praticantes não só de vários países da Europa mas também da África do Sul e Angola.

Com orientação técnica a cargo do Sensei James Rousseau (8º dan), coadjuvado por Arnold de Beer (8º dan), Leonard Sim (7º dan), Kevin Nason (6º dan) e Henrieheta Sim (6º dan), foram quatro dias de muita azáfama.


Desejo aqui felicitar os meus amigos António Moreira pela obtenção do seu 6º dan e José Ramalho pela conquista do seu 5º dan. Um abraço a ambos.

Ao meu amigo João Ramalho, um abraço de parabéns pela organização espetacular, apresentando as minhas desculpas por não ter podido participar neste evento por motivos de saúde!
...